Em 1990, o setor público ocupava 55% da população economicamente ativa do Estado, ou seja. mais da metade da população economicamente ativa trabalhava na prestação de serviços (saúde, educação, transporte, bancos, comunicarão, lazer, funcionalismo público), e nas diversas formas de comércio. O setor secundário ou industrial empregava 23% e o setor primário representado pela pecuária e pela agricultura ocupava 22% desse universo de trabalhadores.

Dados da Junta Comercial, coletados em junho de 1999, mostram uma concentração dos serviços e das atividades comerciais que juntas formam o setor terciário, na capital do RN, pois, segundo essa fonte, do total estabelecimentos inscritos nesta repartição pertenciam ao setor terciário, 12% ao setor secundário ou industrial e 1% pertencia ao setor primário.

Essa concentração em Natal está relacionada com o papel que a capital exerce como centro administrativo estadual concentrador dos empregos públicos nas diversas repartições mantidas pelos governos do Estado e da União, mas  também pela massa de salários que esses empregos fazem circular na cidade, ampliando o comércio e criando as condições para a implantação dos shoppings, centros comerciais e das grandes redes de supermercados, como é o caso do Nordestão. Carrefour e Hiper bom preço.

O comércio, que tradicionalmente ocupava o bairro do Alecrim e da Cidade Alta, se alastrou nas avenidas em direção à zona sul da cidade.

Na última década. Natal vivenciou uma verdadeira revolução em termos de comércio varejista. Em busca de lazer, conforto, segurança e variedade, os consumidores elegeram os shopping  como os locais preferenciais para as compras.

Os shoppings invadiram nossa cidade consideravelmente, da mesma forma que evoluíram, fazendo parte, hoje, da rotina diária de qualquer consumidor natalense, que descobriu a fórmula “agradável e segura” de fazer compras.

Os shoppings, de uma maneira geral se instalaram em áreas pré-estabelecidas e com o tempo foram surgindo novos centros comerciais nas regiões por eles servidas.

O advento de shoppings em Natal deu um crescimento ao comércio varejista, contribuindo principalmente pela qualidade dos novos produtos oferecidos em suas lojas, de forma que o comércio dispõe na atualidade de produtos nos mais variados gostos e estilos. Shopping Centers em funcionamento: MIDWAY MALL, CCAB-SUL CCAB-NORTE, DUNAS SHOPPING, CIDADE JARDIM, VIA DIRETA SHOPPING, LAGOA CENTER, NATAL SHOPPING CENTER E PRAIA SHOPPING.

Fonte: Economia Rio Grande do Norte – Estudo Geo-Histórico e Econômico – José Lacerda Alves Felipe, Aristotelina Pereira Barreto Rocha, Edilson Alves de Carvalho – Editora Grafset